Minha Coleção

1. Interface

Após efetuar as configurações de uma coleção e sua criação, o usuário é levado para a página da coleção (representada abaixo). Inicialmente, a página se mostra simples e sem muito conteúdo — o que será mudado à medida que forem adicionados novos itens de coleção.

69. Página da Coleção 69. Página da Coleção

Uma outra interface possível dentro da coleção está relacionada ao desabilitar o cabeçalho da coleção (configuração essa apresentada como demonstrado na figura abaixo).

70. Coleção sem o cabeçalho 70. Coleção sem o cabeçalho

Quando ativada, essa configuração realiza uma realocação de itens como nome da coleção (que incorpora o início da coluna da direita), e configurações da coleção (representadas pela roda dentada que é apresentada no item 5 a seguir).

Na página de sua coleção, existem alguns itens específicos que demonstram diferentes opções, que auxiliam na mudança de configurações e compreensão do ambiente pelos visitantes da coleção.

71. Configurando Página da Coleção 71. Configurando Página da Coleção

1. Categorias:

A coluna a esquerda na página de coleções representa as categorias e metadados que foram definidos como filtros, servindo como uma espécie de busca rápida.

2. Adição de Itens:

Existem três opções para a adição de item na coleção, sendo, Itens da coleção (Manual), múltiplos arquivos e Recurso Web Url.

2.1 Texto:

Refere-se à adição de itens a partir do formulário padrão de preenchimento, que é mostrado mais adiante no manual.

2.2 Enviar Arquivo(s):

Possibilita que o usuário envie diversos arquivos (PDFs, imagens, documentos) ao mesmo tempo, já com a opção de edição dos metadados de cada item.

2.3 Recurso Web Url:

Permite a adição de itens a partir de links web, como vídeos do youtube, fotos hospedadas no Flickr ou Instagram, entre outros.

3. Ordenação:

A ordenação serve como um filtro adicional de itens dentro da coleção sendo possível ordenar os itens de acordo com as opções apresentadas, além da possibilidade de definir parâmetros como metadados ou ranking como item de ordenação.

Além da ordenação em si, existem três modelos de exibição que estão a disposição do usuário, abaixo é possível observar quais são esses modelos e como os itens são dispostos:

A. Modelo em Colunas:

72. Modelo em colunas 72. Modelo em colunas

B. Modelo de Lista:

73. Modelo em Lista 73. Modelo em Lista

C. Modelo de Galeria:

74. Modelo de Galeria 74. Modelo de Galeria

D. Modelo de Slideshow:

75. Modelo de Slideshow 75. Modelo de Slideshow

E. Modelo em tabela:

Nas configurações de layout é possível configurar quais colunas serão apresentadas.

77. Modelo em Tabela 77. Modelo em Tabela

No item três ainda estão dispostas duas configurações importantes, uma delas relacionada ao selecionar, que seleciona um ou mais itens da coleção para serem enviados para a lixeira ou editados em conjunto.

78. Seleção para edição em conjunto 78. Seleção para edição em conjunto

3.1

Ao clicar em um dos dois ícones a frente do selecionar, aparecerão outros dois que se referem a jogar um item ou mais na lixeira ou editá-los, caso seja selecionado, o usuário poderá selecionar item por item a ser descartado ou editado, caso seja selecionado, todos os itens serão selecionados automaticamente apresentando uma borda azul a sua volta.

3.2

Em ambos os casos quando uma das ações de seleção forem efetuadas aparecerá um pequeno informativo no canto inferior direito.

A partir desse menu é possível efetuar o acesso ao perfil do usuário e também as coleções criadas. Além de configurar suas categorias e coleções compartilhadas.

O menu da sua coleção apresenta uma gama de configurações que podem ser utilizadas para ajustar alguma configuração que foi setada durante a criação da coleção.

79. Menu da Coleção 79. Menu da Coleção

1.

O primeiro bloco de configurações do menu da coleção apresenta as opções de configuração que são preenchidas na criação da coleção, sendo elas, Configuração, Metadados, Filtros e Layout. O item de tags, serve como uma forma de classificação dos itens da coleção, sendo possível configurar diferentes tags para o conteúdo.

2.

O segundo bloco apresenta configurações referentes as redes sociais, onde é possível configurar a forma como as informações dessas redes será importada, as licenças que dizem respeito as propriedades de uso de textos ou itens de uma coleção, a importação e exportação respectivamente são feitas em diferentes formatos e por fim o item de estatísticas que gera visualizações de acesso entre outros indicadores referentes aos itens da coleção.

3.

Este bloco está relacionado a exclusão da coleção e a remoção de itens dessa coleção.

4.

Por fim temos a última configuração que diz respeito aos eventos ou, onde são mostradas ações que foram efetuadas na coleção pelos usuários ou pelo dono dessa coleção, assim como itens que necessitam de aprovação.


2 – Criação de Item

Ao acessar a coleção, a opção que está mais visível se trata da criação de itens, que disponibiliza algumas possibilidades distintas de criação, que se dividem em Escrever Texto, Enviar arquivos e Inserir URL.

80. Criação de Item 80. Criação de Item

1. Coluna de informações:

Nessa coluna são definidas informações básicas do item assim como o preenchimento de metadados ou escolha de categorias do item.

1.1 Miniatura:

Imagem em miniatura que representará o item.

1.2 Fonte:

Campo para especificar a procedência do item.

1.3 Descrição:

Campo para descrever o item.

1.4 Tags:

Grupo de tags de conteúdo que pode ser inserido separado por vírgulas.

1.5 Autor:

Campo para se colocar o nome do autor do item.

1.6 Ano:

Por exemplo em caso de o item ser um artefato, definir de que data é este item.

1.7 Categoria:

Campo de seleção de categoria do item.

2. Campo de Preenchimento:

O campo de preenchimento traz os campos que identificam o item de forma global para além de seu conteúdo.

2.1 Título:

Título / Nome do item.

2.2 Tipo:

Nesse contexto por ser um item de texto o tipo já vem pré-definido como texto.

2.3 Conteúdo:

Campo onde o conteúdo será criado.

2.4 Anexos:

Campo para inclusão de anexos ao item.

Uma outra forma de visualização para a submissão de itens é o layout do formulário com ênfase no metadado, além da opção de divisão dos metadados em abas como demarcado em vermelho na figura abaixo.

81. Formulário de criação de item com ênfase no metadado 81. Formulário de criação de item com ênfase no metadado

2.1 – Criação de Múltiplos Itens

82. Criação de múltiplos itens 82. Criação de múltiplos itens

1. Enviar arquivos:

Ao clicar no botão ou na área mais escura é aberta uma janela onde o usuário pode escolher os arquivos que deseja adicionar a coleção como itens.

2. Próximo passo:

Clique no botão Próximo passo para continuar o preenchimento de metadados dos itens.

3.

Ao prosseguir clicando em Próximo passo, o usuário será levado a uma nova tela onde são mostrados todos os itens que o mesmo subiu para sua coleção.

83. Adicionar Novo Item - Enviar Arquivo Local 83. Adicionar Novo Item - Enviar Arquivo Local

1. Inserir mais arquivos:

Possibilita com que o usuário insira mais arquivos além daqueles que são apresentados na parte inferior.

2. Arquivos:

Mostra todos os arquivos que foram adicionados pelo usuário, além de mostrar seu formato com uma caixa de seleção para se efetuar uma separação dos mesmos ao clicar.

3. Itens de seleção:

A partir dessas opções é possível selecionar ou deselecionar todos os itens, além de poder deletá-los.

Nessa etapa existe a possibilidade de publicar todos os itens sem o devido preenchimento de dados e metadados, que podem ser editados posteriormente. Para poder fazer a edição de dados do item, basta clicar em um deles, ao fazer isso os dados irão aparecer na coluna a esquerda para a edição.

84. Adicionar Novo Item - Editando Item 84. Adicionar Novo Item - Editando Item

1. Coluna de edição:

Aqui aparecerão todos os dados, metadados e filtros que foram definidos para a coleção.

2. Item selecionado:

Note que ao selecionar um item, uma borda azul fica em volta do mesmo, é necessário ter algum cuidado nessa etapa uma vez que se o usuário selecionar todos os itens e preencher um dos valores da coluna esquerda esse valor afetará todos os itens selecionados.

3. Anexos:

Assim como a coluna de edição, ao clicar em um dos arquivos aparecerá na parte debaixo um novo campo para que o usuário possa subir anexos referentes ao arquivo, caso seja necessário.

Com campos preenchidos e tudo organizado de acordo com as necessidades do usuário basta clicar em publicar, o que fará com que os itens sejam publicados dentro da coleção.

85. Publicação dos Itens 85. Publicação dos Itens

2.1.1 – Extração de metadados no envio de múltiplos itens

Ao gerar múltiplos itens do tipo imagem é possível efetuar uma extração de metadados que difere do comum, ao lado do botão verde próximo passo é apresentado uma pequena caixa de extração de metadados que pode ser selecionada, ao selecionar tal caixa sendo os itens imagens o Tainacan irá extrair os metadados dessas imagens, metadados esses que se referem ao tamanho, câmera, formato, estes metadados serão apresentados na página de apresentação do item.

2.2 – Enviar arquivo no formato zip

Após clicar em enviar arquivo no formato .zip no menu adicionar dentro de sua coleção a tela representada na figura abaixo.

86. Importar arquivos de um arquivo comprimido 86. Importar arquivos de um arquivo comprimido

Ao adicionar este tipo de item é possível enviar arquivos do próprio computador ou diretamente do servidor ou da instalação WordPress de seu repositório.

Possibilita também a escolha de importação de hierarquia das pastas, caso o arquivo .zip contenha pastas e subpastas é possível criar uma categorização com titulação específica que seria a inserção de um valor, ou a escolha de um metadado já existente na coleção. Preenchida estas configurações o item será criado.

2.3 – Recurso Web URL

Como mencionado anteriormente temos a possibilidade de adicionar conteúdo de mídias sociais, a partir do recurso web url.

87. Adicionar novo item - Inserir URL 87. Adicionar novo item - Inserir URL

Como é possível observar na figura acima, temos uma gama de mídias sociais de onde o Tainacan pode extrair informações e apresentá-las como itens de uma coleção. Por ordem temos: Facebook, Youtube, Flickr, Vimeo, Instagram, Documento (Documentos .DOC), e, por fim, endereços eletrônicos, como forma de elucidar o funcionamento dessa etapa, será feita uma explicação tendo como exemplo o Youtube.

88. Adicionar novo item por URL 88. Adicionar novo item por URL

A partir do Youtube pode ser extraído um único vídeo, a partir de sua url ou toda uma playlist a partir do link que contenha /user, ou seja, será importada para a coleção a playlist de um usuário do Youtube.

É importante ressaltar que abaixo do botão de envio do item para a coleção, existe uma opção para extrair os metadados do objeto a ser importado, isso preenche de forma automática campos como descrição, nome e informações do item, tudo a partir das informações do próprio objeto.

Exemplo:

https://www.youtube.com/channel/identificador – Errado.

https://www.youtube.com/user/identificador – Correto.

2.3.1 – Extrair metadados de uma url

Abaixo do botão enviar na opção de url, existe a possibilidade de habilitar a extração de metadados do url a ser adicionado como item. Essa extração traz outras informações, como é o caso do Youtube onde ao optar por essa configuração, metadados como a descrição e fonte são preenchidos automaticamente com os dados vindos do próprio vídeo.

2.4 – Alterando um Item na Coleção

Após o envio e preenchimento de metadados de um Item, caso deseje por qualquer motivo substituir o arquivo do Item por um outro, o usuário poderá entrar na página de visualização do item e clicar na engrenagem, no canto superior direito, e em seguida clicar em alterar arquivo:

Alterar Arquivo

Em seguida, clique em selecionar arquivo e selecione o arquivo que deseja enviar para a substituição.

Selecionar arquivo para a alteração

2.5 – Compreendendo o Formato do Item na Coleção

Ao terminar a criação de um novo item o usuário será redirecionado para a página principal da coleção onde se encontrará o item e onde é possível explorar um pouco mais a apresentação dele antes de acessá-lo.

89. Detalhes configuração de um Item 89. Detalhes configuração de um Item

1.

Imagem que representa a miniatura do item, caso não seja adicionada nenhuma imagem o Tainacan gerará uma por padrão de acordo com o tipo de item.

2.

Informações gerais, contém o título do item e sua descrição além da data de criação e o nome do usuário que criou o item.

3.

Ícones de navegação, a roda dentada apresenta as opções de edição e ações que podem ser efetuadas com o item, o segundo ícone abre uma janela de compartilhamento, que possibilita compartilhar o item nas redes sociais ou enviá-lo por e-mail.

Na figura abaixo estão representadas as opções que podem ser aplicadas a um item da coleção.

3.1 Visualização das opções de um item

90. Visualização das opções de um item 90. Visualização das opções de um item

3.2 Ver Item:

Abre a visualização do item.

3.3 Imprimir Item:

Abre a janela de impressão para imprimir a página do item.

3.4 Alterar proprietário do item:

Possibilita mudar o usuário que criou o item.

3.5 Editar Item:

Abre a página de edição do item.

3.6 Duplicar nesta coleção:

Gera uma cópia do item dentro da coleção.

3.7 Duplicar em outra coleção:

Gera uma cópia do item em outra coleção do repositório.

3.8 Check-out:

Bloqueia o item para edições, não sendo possível gerar alterações, está opção apresenta duas sub-opções:

1. Check-in: Cria uma nova versão do item que pode ser editada.

2. Descartar Check-out: Desabilita o check-out do item

3.9 Criar nova versão:

Gera uma nova versão do item que será apresentada na coleção, diferente do check-out essa opção não tranca a edição do item, aplica as alterações e automaticamente o apresenta na coleção.

3.10 Versões do Item:

Apresenta uma tela onde é possível verificar as versões anteriores do item e como dono do item é possível especificar qual das versões será apresentada na coleção.

3.11 Exportar RDF:

Faz a exportação do item no formato .RDF.

3.12 Comentar Item:

Leva o usuário diretamente para a opção de comentário do item.

3.13 Excluir Item:

Exclui o item da coleção.

91.  Visualização dos metadados de um item na coleção 91. Visualização dos metadados de um item na coleção

4. Metadados:

Ao clicar no botão de metadados são apresentados todos os metadados que o item contém, desde metadados predefinidos até as tags e categorias que foram utilizadas na criação do item.

Ao clicar no item, o usuário terá acesso à página do item que apresenta todos os dados que foram configurados e adicionados na criação da coleção e do item em específico.

92. Visualização do item com ênfase na mídia 92. Visualização do item com ênfase na mídia

A figura apresentada acima demonstra o item com ênfase na mídia, já a figura a seguir traz essa representação com o foco no metadado, o que gera uma visualização em abas.

93. Visualização do item com ênfase no metadado 93. Visualização do item com ênfase no metadado

94. Visualização do item com ênfase no metadado em abas e media habilitada 94. Visualização do item com ênfase no metadado em abas e media habilitada

1. Abas:

As abas servem como uma forma de organização para os metadados de um item, gerando uma forma de visualização destes dados dentro da página do item.

2. Coluna de mídia:

Nas configurações de layout é possível definir apenas a ênfase no metadado e um sub-opção é habilitar a visualização de imagens e anexos na coluna da direita na página do item.

2.5 – Restaurando um Item Apagado

Caso se deseje restaurar um item apagado, deve-se clicar sobre o botão Lixeira, na parte superior direita da página de exibição dos itens da coleção, logo abaixo do campo de busca, como mostra a figura.

95. Restaurando Item Apagado 95. Restaurando Item Apagado

Após isso, serão exibidos os itens que foram apagados da coleção. Para restaurá-los, deve-se clicar sobre o botão < >.

96. Restaurando Item Apagado 96. Restaurando Item Apagado

Caso o usuário deseje remover o item da coleção permanentemente, basta clicar sobre o botão < >.

2.4 – Restaurando uma Coleção Apagada

Para restaurar uma coleção apagada basta, na página raiz, onde são exibidas as coleções do repositório, clicar sobre o botão Lixeira, abaixo do campo de busca, como mostra a figura abaixo.

97. Restaurando Coleção Apagada 97. Restaurando Coleção Apagada

Para restaurar a coleção apagada, basta clicar sobre o botão < >, que estará ao lado das miniaturas de cada coleção. Deve-se então clicar sobre o botão Sair, abaixo do campo de busca para que a página seja redirecionada para a página raiz do repositório.


98. Retornando para página Raiz 98. Retornando para página Raiz


3 – Configurações de uma Coleção

99. Configurações de uma Coleção 99. Configurações de uma Coleção

Para acessar as configurações de uma coleção deve-se clicar na roda dentada → Configuração. Após isso é exibida a tela mostrada na figura X: É possível editar o nome e descrição da coleção nos dois primeiros campos. Nos dois últimos é possível definir uma imagem de miniatura para a coleção e uma imagem de capa para a mesma. Para fazer upload tanto de uma miniatura quanto de uma imagem de capa, basta clicar sobre e então selecionar o diretório da imagem desejada.

No final da página, ao clicar em configurações avançadas são exibidos mais alguns campos, como mostrado na Figura:

100. Configurações avançadas de uma Coleção 100. Configurações avançadas de uma Coleção

No campo Endereço da Coleção pode-se alterar a url da coleção apenas editando o campo, como mostrado na figura a seguir. O endereço não pode conter espaços e nem caracteres especiais. O endereço tem um limite de 200 caracteres.

101. Endereço da Coleção 101. Endereço da Coleção

O campo Privacidade da Coleção pode-se definir o nível de acesso para a coleção como público ou privado. Caso seja definido como privado somente os usuários definidos como moderadores da coleção poderão ter acesso à mesma. O campo Coleção Pai permite definir uma coleção a partir da qual poderão ser herdados todos os metadados e votações. Para habilitar essa opção deve-se preencher o campo Hierarquia da Coleção com “sim”.

102. Controle dos Downloads 102. Controle dos Downloads

O campo Controle de Downloads possibilita três níveis de controle dos downloads realizados na coleção, como mostra a imagem a seguir:

{}

O campo Gerar miniatura com marca d'água define que toda imagem baixada terá nela uma marca d'água.

Os demais campos são detalhados na seção de Permissões.


4 – Configurar Categorias

Como chegar aqui: Menu do Usuário Minhas Categorias

Ao acessar as Categorias, é possível adicionar novas categorias a coleção, por padrão a coleção é criada com apenas uma categoria que se trata de uma categoria geral, a partir dela podem ser criadas subcategorias que servirão como filtro e forma de classificação dos itens da coleção.

É importante ter em atenção que para a criação de uma subcategoria é necessário clicar com o botão direito sobre a categoria geral na página de categorias e clicar em Adicionar, como na imagem abaixo.

103. Adicionar novas categorias 103. Adicionar novas categorias

1. Árvore de categorias:

Apresenta todas as categorias que podem classificar a coleção e que foram criadas pelo usuário, sendo divididas por categorias públicas ou privadas.

2. Criar categoria:

Possibilita o usuário criar uma categoria dentro da coleção (e.g. Vídeos).

2.1 Nome da Categoria:

Campo de preenchimento onde se dá o nome da nova categoria.

2.2 Categoria pai:

Normalmente configurada como “Categorias do Usuário”.

2.3 Descrição da categoria:

Campo de descrição da categoria.

2.4 Privacidade das Categrias:

Setar categoria como privada (uso pessoal) ou pública.

2.5 Moderadores das Categorias:

Define usuários como moderadores das categorias.

Em complemento ao item 1, temos as opções de Adicionar, Editar, Remover, Setar como pai e Importar/Exportar Taxonomia.

Adicionar: Adiciona uma nova subcategoria.

Editar: Possibilita a edição de uma categoria já existente.

Remover: Remove a Categoria.

Setar como Pai: Transforma a categoria em uma categoria pai (principal).

Importar/Exportar Taxonomia: Possibilita a importação de uma taxonomia já criada pelo usuário, ou a exportação da Taxonomia criada no Tainacan.

4.1 – Estruturar Metadados e Filtros

Assim como mostrado em tópico anteriores onde o usuário configura sua coleção, temos a possibilidades de adicionar novos metadados e filtros, essa etapa vem após a adição de novas categorias, por conta de um fator determinante, que é a criação de novas categorias como filtro.

Suponhamos que o usuário necessite de uma categoria “Vídeos” com subcategorias voltadas para o gênero de vídeos “Comédia”, “Ação”, “Terror”, “Músicas”, entre outros. Esse usuário inicialmente deve criar uma categoria e adicionar uma subcategoria, assim como mostrado no tópico anterior.

104. Adicionar Categorias e Subcategorias 104. Adicionar Categorias e Subcategorias

Feito isso o mesmo deve seguir o seguinte caminho dentro da coleção: Roda Dentada Metadados e Filtros, sendo encaminhado para a seguinte tela.

105. Adicionar Categorias e Subcategorias 105. Adicionar Categorias e Subcategorias

Como não existe nenhuma adição o usuário verá uma tela tal e qual a demonstrada acima, para adicionarmos a categoria vídeos como um filtro da coleção, devemos clicar em Adicionar metadado Categoria.

106. Adicionar Novo Metadado - Categoria 106. Adicionar Novo Metadado - Categoria

Na figura acima temos a imagem representativa da tela para a adição de categorias à uma coleção.

1. Nome do metadado de termo:

É o nome com o qual o metadado será reconhecido, neste caso podendo ser vídeos, como exemplo.

2. Vincular Categoria:

Vincula uma categorização já existente de um certo usuário ou de uma coleção.

== 3. Criar nova: == Permite criar uma nova categorização como demonstra a figura abaixo.

107. Nova Categorização 107. Nova Categorização

Ao criar uma nova categorização, basta adicionar o nome principal vídeos e abaixo clicar em Adicionar sub-categoria e criar as categorias e subcategorias.

4. Configurações Avançadas:

Demonstra algumas configurações que podem ser feitas e aplicadas as categorias, como mostrado na figura abaixo.

108. Sub-categorização - Configurações Avançadas 108. Sub-categorização - Configurações Avançadas

4.1

O texto de ajuda é um campo que informa do que se trata o item a ser preenchido nesse caso as categorias. Esse texto estará presente no formulário de criação de um item.

4.2

O widget de metadado se divide em três formatos (árvore, checkbox e radio) que definirão a forma como as categorias serão apresentadas.

4.3

Estipula se o elemento será de valores únicos ou múltiplos.

4.4

Define se a categoria poderá ser vista por todos ou se será uma categoria restrita, que pode ser vista pelo administrador ou moderadores.

4.5

Define se o preenchimento ou escolha da categoria é obrigatória no formulário.

5. Usar como filtro:

Adiciona as categorias como um filtro de busca que será apresentado na coluna do lado esquerdo das coleções, como mostra a Figura abaixo.

109. Usar como Filtro 109. Usar como Filtro

5.1

Permite usar uma categoria como filtro de uma coleção.

5.2

Permite estilizar a forma de seleção do filtro, como árvore, radio ou checkbox, ao selecionar o tipo árvore é possível setar uma cor diferente para cada filtro criado.

5.3

Permite estipular uma cor especifica para o filtro.

5.4

Estipula a forma de ordenação das categorias no filtro, podendo ser ordenada de forma alfabética ou pela quantidade de itens existente em cada categoria.

Após efetuar as configurações da categoria e defini-la como filtro, aparecerá o indicativo da mesma no lado esquerdo da tela, o que mostra que foi configurada como um filtro, como mostra a Figura abaixo.

110. Exemplo Filtro 110. Exemplo Filtro

Já na figura abaixo está a representação da categoria como filtro que é apresentada na coleção.

111. Exemplo Categoria como Filtro 111. Exemplo Categoria como Filtro

A partir daqui essas categorias não aparecem apenas na coleção, mas também no formulário de preenchimento dos itens, onde é possível setar a categoria a qual o item se encaixa, em relação a essa questão o Tainacan utiliza também nesse contexto o Arrastar e Soltar, bastando clicar e segurar em Comédia por exemplo e arrastar para cima do item que deseja atribuir essa categoria.

Para adicionar novas subcategoras basta clicar com o botão direito acima da categoria principal e clicar em Adicionar, é possível efetuar está ação clicando também sobre o ícone que aparece ao passar o mouse sobre a categoria.

112. Adicionar subcategoria dentro da coleção 112. Adicionar subcategoria dentro da coleção

Esse evento fará com que seja gerado um popup onde essa subcategoria poderá ser adicionada e aparecerá de imediato na árvore de categoria, simplificando o processo que foi demonstrado anteriormente.

113. Nomear subcategoria adicionada 113. Nomear subcategoria adicionada

4.1.1 – Editar categoria e adicionar tag como sinônimo

Como mostrado no ponto anterior é possível editar as categorias dentro da coleção, para tal basta clicar em editar, o que irá abrir a janela representada na figura abaixo.

114. Editar categoria e adicionar sinônimos 114. Editar categoria e adicionar sinônimos

Essa opção permite alterar o nome das categorias, adicionar descrições e definir sinônimos, que podem se tratar de tags ou outras categorias.

Ao se utilizar a atribuição de sinônimos, é gerado um reflexo dessa atribuição na busca, uma vez que como apresentado a categoria “01 – caça/guerra” foi atribuído como sinônimo a tag sinônimo, toda vez que se utilizar esta categoria como um filtro de busca os itens que utilizam a tag sinônimotambém serão apresentados como resultado da busca.

5 – Busca

5.1 – Busca Avançada

A busca avançada no repositório permite que os usuários busquem por coleções específicas ou mesmo por itens específicos em coleções. O acesso a essas coleções, entretanto, é limitado pelo nível de permissão de acesso definido pelo proprietário da coleção que se quer buscar (ver seção de Permissões). Esse recurso pode ser acessado tanto através da página inicial do site quanto através do caminho Coleções Mostrar Coleções.

116. Busca Avançada 116. Busca Avançada

Ao clicar em Busca Avançada o usuário tem acesso a um formulário de busca composto por dois campos: Um para selecionar uma coleção específica na qual se deseja buscar e outro para informar o que se deseja buscar.

117. Painel Busca Avançada 117. Painel Busca Avançada

É possível ainda, clicando em Pesquisar mais metadados, informar outros dados a respeito do que se busca (vide Figura) para refinar a pesquisa.

5.2 – Busca Avançada na Coleção

O recurso de busca avançada na coleção pode ser utilizado ao acessar uma coleção, clicando no botão Busca Avançada, abaixo do campo de pesquisa, na parte superior da tela acima dos itens da coleção.

119. Painel Busca Avançada na coleção 119. Painel Busca Avançada na coleção

Os campos de busca são semelhantes à busca avançada no repositório com a diferença que ao clicar em Pesquisar mais metadados são exibidos uma série de metadados que compõem um item da coleção.

120. Painel Busca Avançada - Pesquisar Mais Metadados 120. Painel Busca Avançada - Pesquisar Mais Metadados

5.3 – Visualização de Resultados da Busca

Após preencher o campo de busca com alguma palavra e clicar no botão pesquisar, serão exibidos os resultados obtidos.

122. Resultado da Busca 122. Resultado da Busca

5.4 – Busca no Campo Geral

Ao preencher o campo de busca da página inicial, o sistema fará uma busca tanto por coleções como por item, conforme o que for informado.

123. Busca Geral 123. Busca Geral

5.5 – Busca por Palavra-Chave

Ao visualizar os itens de uma coleção na home da coleção, o usuário tem a opção de buscar um item específico através de alguns mecanismos de busca. Entre os mecanismos de busca estão o campo de busca e a seleção de categorias e filtros.

Na busca por palavra-chave o usuário utiliza o campo de busca para informar o nome de um item ou o valor de um metadado específico que compõe um item.

124. Busca por palavra-chave 124. Busca por palavra-chave

Na busca por palavra-chave o campo de busca possui o recurso de auto-complete, de forma que, conforme o usuário digita o que procura, o sistema completa com possíveis nomes/valores que o usuário deseja buscar.

125. Recurso auto-completar na Busca por palavra-chave 125. Recurso auto-completar na Busca por palavra-chave

5.6 – Busca utilizando Seleção de Categorias de Filtros Diferentes

Como mostrado na coluna esquerda da figura, são exibidas as categorias de filtros que podem ser selecionados para realizar a busca de itens em uma coleção. Um recurso que pode ser útil é a seleção de categorias de filtros diferentes.

126. Seleção de categorias de filtros 126. Seleção de categorias de filtros

A seleção de categorias de filtros diferentes permite a definição de um maior número de restrições na busca de um item de uma coleção sem a necessidade de digitar algo no campo de busca. Na figura abaixo, foram selecionados campos da categoria Local de Publicação, Tipo de Material e Classificação da Obra, resultando na apresentação de apenas um item como resultado.

127. Resultado de Busca com categorias de filtros 127. Resultado de Busca com categorias de filtros

5.7 – Busca utilizando Combinação de Categorias e Busca por Palavra-Chave

Além de selecionar vários filtros de mais de uma categoria é possível utilizar adicionalmente o campo de busca para refinar ainda mais o resultado da busca.

Por exemplo, ao selecionar o campo juvenil, da categoria Classificação da Obra, e o campo Livro da categoria Tipo de Material, são exibidos três resultados, mostrados na figura abaixo.

128. Uso adicional do campo de busca 128. Uso adicional do campo de busca

Porém, ao adicionar o nome Simbá ao campo de busca por texto, observa-se que os resultados apresentados são ainda mais específicos.

129. Obtendo Resultados Específicos 129. Obtendo Resultados Específicos

Dessa forma, esse recurso de combinar a seleção de categorias com a utilização do campo de busca pode ser muito efetivo no momento de realizar uma busca.

5.8 – Busca utilizando Remoção de Filtros

É importante mencionar que, da mesma maneira que se pode acrescentar filtros de busca selecionando categorias específicas como mostrado anteriormente, pode-se também removê-los (desselecioná-los). Nesse caso, haverá uma diminuição das restrições de busca, podendo aumentar os resultados exibidos.


6 – Redes Sociais

6.1 – Compartilhamento em Redes Sociais

É possível compartilhar o link para um item ou coleção do Tainacan em redes sociais. Atualmente, é possível compartilhar conteúdo no Facebook, Twitter e Google+.

6.1.1 – Compartilhando uma Coleção nas Redes Sociais

Para compartilhar uma coleção em uma rede social, deve-se, na página inicial da coleção que se deseja compartilhar, selecionar uma das redes sociais clicando em uma das imagens.

130. Compartilhar uma coleção em uma rede social 130. Compartilhar uma coleção em uma rede social

Para compartilhar uma coleção no Twitter, clique sobre. < > Para compartilhar uma coleção no Google+, clique sobre. < > Para compartilhar uma coleção no Facebook, clique sobre. < >

6.1.2 – Compartilhando um Item de Coleção nas Redes Sociais

Para compartilhar um item nas redes sociais, deve-se, na tela de visualização do item da coleção, clicar sobre uma das imagens representando as redes sociais

< figura redes sociais>

Após isso, basta prosseguir com o procedimento de compartilhamento conforme a rede social selecionada, mostrada na seção anterior.

131. Compartilhamento Redes Sociais 131. Compartilhamento Redes Sociais

6.2 – Mapeamento de dados para Redes Sociais

O Tainacan permite que o usuário adicione conteúdos de redes sociais à sua coleção. Para isso, o Tainacan associa as informações do conteúdo a metadados específicos da coleção.

Cada rede social representa seu conteúdo de uma maneira, de forma que cada rede social possui uma API específica para descrever seus dados. Atualmente o Tainacan suporta a adição de conteúdos das redes sociais Youtube, Flickr, Facebook, Instagram e Vimeo.

Por exemplo, um mapeamento que pode ser feito para um vídeo do Youtube é associar o título do item que representa o vídeo na coleção com o metadado title, que é recuperado pelo Tainacan através da url do vídeo.

A figura abaixo mostra como se pode acessar as configurações:

132. Redes Sociais conectadas à essa coleção 132. Redes Sociais conectadas à essa coleção

Ao acessar a página, as diferentes redes sociais estarão divididas por abas, demonstrando por padrão os parâmetros de configuração para cada uma das redes, tendo na parte inferior a opção de edição de mapeamento dos dados referentes ao conteúdo importado.

133. Mapeamento dos dados de conteúdo importado 133. Mapeamento dos dados de conteúdo importado

Ao acedermos a esse botão temos a seguinte tela, que difere de acordo com a rede social.

As configurações de mapeamento das redes sociais definem de que forma esse item deve ser apresentado dentro da coleção, o Tainacan traz um padrão para esses itens, estando representado na tela de mapeamento. Dessa forma os parâmetros de apresentação do item podem ser alterados utilizando a url como título ou o título tornando-se a descrição do item, dando assim ampla liberdade para o dono da coleção em relação a esse gênero de item.

6.3 – RSS

Para utilizar o RSS no navegador Firefox, basta clicar sobre seu símbolo na coleção desejada. Após isso, será aberta uma aba com os feeds da coleção, com a opção de inscrição no mesmo, como mostrado na figura.

134. RSS da Coleção 134. RSS da Coleção

6.4 – Incluindo uma coleção em um blog/site via tag embed

Para incluir uma coleção em um site via tag embed, basta acessar a coleção e então copiar o link. Para isso, o usuário deve estar na página home da coleção, como mostra a Figura:

135. Incluindo uma coleção em um blog/site via tag embed 135. Incluindo uma coleção em um blog/site via tag embed

Após copiar um dos links, basta incluir no blog/site no qual o usuário deseja, a representação ficará como na Figura a seguir.

136. Incluindo uma coleção em um blog/site via tag embed 136. Incluindo uma coleção em um blog/site via tag embed


7 – Licenças

Como chegar aqui: Roda dentada na coleção Licenças

Após as configurações de mapeamento das redes sociais, o usuário pode fazer alterações nas licenças que permitirão a cópia ou compartilhamento de informações dos itens da coleção por outros usuários ou visitantes, que desejam reproduzir a informação ali contidas.

137. Licenças da coleção 137. Licenças da coleção

1. Licenças:

O Tainacan apresenta uma gama de licenças regulamentadas pelo creative commons que podem ser utilizadas na coleção ou em seus itens.

Creative Commons CC BY:

Permite - Compartilhar e Adaptar. Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original.

Creative Commons CC BY-ND:

Permite – Compartilhar. Esta licença permite a redistribuição, comercial e não comercial, desde que o trabalho seja distribuído inalterado e no seu todo, com crédito atribuído a você(?pensando que a obra pode não ser do usuário seria bom mudar ).

Creative Commons CC BY-NC-SA:

Permite - Compartilhar e Adaptar Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, desde que atribuam a você o devido crédito e que licenciem as novas criações sob termos idênticos.

Creative Commons CC BY-SA:

Permite - Compartilhar e Adaptar. Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito e que licenciem as novas criações sob termos idênticos.

Creative Commons CC BY-NC:

Permite - Compartilhar e Adaptar. Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Creative Commons CC BY-NC-ND:

Permite – Compartilhar. Esta é a mais restritiva das nossas seis licenças principais, só permitindo que outros façam download dos seus trabalhos e os compartilhem desde que atribuam crédito a você, mas sem que possam alterá-los de nenhuma forma ou utilizá-los para fins comerciais.

As configurações a seguir permitem que o usuário adicione um novo tipo de licença caso o que se deseja não esteja entre os listados pelo Tainacan. AdicionarLicença: Permite que o dono da coleção adicione uma nova licença.


8 – Importação

Como Chegar Aqui: Roda Dentada na coleção Importar

Seguindo adiante, após as licenças a configuração seguinte está relacionada a importação de coleções ou itens de coleção, sendo essa importação possível a partir de um arquivo com a extensão do Tainacan (importação de coleção entre instalações do Tainacan) ou então a partir de uma planilha em .CSV que contenha de forma ordenada todos os campos a serem preenchidos na criação de um item, em casos onde não existe a adição de campos é possível fazer a importação com os parâmetros/metadados do Tainacan, que seriam o título, tipo, formato, descrição, etc.

138. Importar 138. Importar


Protocolo OAI-PMH: Trata-se de um padrão utilizado para a importação de itens ou coleções de outros repositórios, este protocolo gera um link o qual segue um padrão de configurações predefinidas, que serão reconhecidas pelo Tainacan, possibilitando assim a importação de itens/coleções a partir de um url. (protocolo de interoperabilidade entre bibliotecas/repositórios digitais).

Ainda na importação temos um campo chamado Harvesting, que seria um agendamento CRON, este agendamento verifica diariamente alterações nas coleções ou no repositório, o que acaba por importar ou exportar a versão mais recente, seja dos itens, seja do repositório.

A partir da url de um repositório externo o Tainacan importa itens e metadados. Como mostrado na Figura, após informar a url do repositório de onde se quer importar, basta clicar sobre o botão Validar. Caso o usuário queira importar uma porção específica de um repositório, basta preencher o campo Set com a identificação dessa porção (set).

139. Protocolo OAI-PMH 139. Protocolo OAI-PMH

Após validar a url do repositório externo é exibida uma tela na qual o usuário deve definir alguns parâmetros de importação, como mostra a Figura:

140. Protocolo OAI-PMH
140. Protocolo OAI-PMH

1

Caso a validação da url tenha sido bem-sucedida, será mostrado o número de itens encontrados no repositório informado pelo usuário.

2

O usuário pode optar por importar todos os itens do repositório ou apenas os metadados. Importar os itens demanda maior quantidade de tempo.

3

Nesse campo o usuário define o mapeamento dos metadados do repositório externo informado para os metadados do Tainacan.

141. Mapeamento dos metadados 141. Mapeamento dos metadados

Conforme a Figura acima, o campo de seleção 1 (esquerda) define o mapeamento dos metadados do repositório externo para os metadados do Tainacan, exibidos no campo de seleção 2 (direita).

4.

O usuário pode ainda adicionar mais campos de seleção a fim de mapear outros metadados.

Após o término do mapeamento, basta clicar sobre o botão Salvar.


Importação CSV: A importação a partir de arquivos .csv pode ser considerada mais dinâmica em casos como o Tainacan existe a possibilidade de exportação de toda a coleção nesse formato o que facilita, caso o usuário exporte a coleção e venha a importá-la novamente.

142. Importar CSV 142. Importar CSV

1

Para importar um arquivo .CSV, devemos escolhe-lo a partir do Choose file e clicar em salvar, para setar as opções de importação. Como representado na Figura acima.

2

Mapeamento: Após clicar em salvar no item anterior, é necessário mapear os delimitadores de campo que irão dividir os campos dos diferentes itens a serem importados, os delimitadores diferem entre (; || e : :). O ponto e vírgula é o delimitador comum para dividir o conteúdo do .CSV, || serve como delimitador para itens multi valorados, um exemplo seria um campo referente a número de telefone, o qual pode ter um ou mais itens atrelados ao mesmo valor, e por fim :: o delimitador de hierarquia. Além destes itens é possível administrar questões como o arquivo ter cabeçalho nas colunas para uma melhor compreensão. As representações dessas configurações se encontram na Figura abaixo.

143. Importar CSV 143. Importar .csv

144. Importar .CSV 144. Importar .csv

3

Feito as configurações e o mapeamento, o site levará o usuário novamente a tela de importação que agora contém o arquivo que foi importado e mapeado, nessa tela clique na seta que aponta para baixo (Figura) para finalmente importar a coleção.

145. Sucesso ao Importar .csv 145. Sucesso ao Importar .csv


Importação de Metatags: A importação de metatags serve como um mapeamento geral, que terá efeito ao se fazer a adição de itens como páginas web, esse mapeamento vai identificar na adição do item os campos das metatags e preencher automaticamente esses campos dentro do item da coleção.

1

Selecione um site ou notícia para efetuar o mapeamento de metatags, insira o url no campo demonstrado na Figura abaixo para a validação.

146. Importar metatags 146. Importar metatags

2

Mapeamento: O mapeamento do url (Figura) se dá a partir dos metadados já criados para sua coleção no Tainacan, podendo assim adicionar novos metadados que correspondem a diferente metatags.

147. Importar metatags e adicionar metadados 147. Importar metatags e adicionar metadados

É possível criar uma diversidade de mapeamentos.


Importação da Europeana: O Tainacan permite, por fim, a importação de itens de uma coleção da Europeana.

1

Primeiramente é necessário saber o nome da coleção a qual se deseja importar os itens, para tal pode ser feita uma busca no próprio < site da Europeana >, após isso basta colar o nome no campo e importar os dados (Figura), ou filtra-los no caso de filtrar tais dados será apresentado um pequeno campo com uma representação em texto dos itens.

148. Importar da Europeana 148. Importar da Europeana

149. Sucesso ao Importar da Europeana 149. Sucesso ao Importar da Europeana

2

Caso o mapeamento ainda não tenha sido efetuado, o usuário receberá uma mensagem de erro com pedido para que faça o mapeamento. Caso já tenha feito o mapeamento, receberá a mensagem de sucesso. Dessa forma ao voltar para a coleção, todos os itens importados, irão aparecer.


9 – Exportação

Como Chegar Aqui: Roda Dentada na coleção Exportar

A exportação por sua vez permite a extração de tudo aquilo que foi criado dentro de uma coleção, para a exportação existem três modalidades: protocolo OAI-PMH, .csv e pacote.

150. Exportar Coleção 150. Exportar Coleção

1

Assim como acontece nos mapeamentos demonstrados anteriormente para a exportação a partir do Protocolo OAI-PMH, é necessário efetuar um mapeamento dos campos. Embora, neste caso, após o mapeamento seja gerado um link que possibilita a importação dos itens para qualquer repositório digital.

2

A exportação em .csv, requer apenas a definição dos delimitadores para separar os dados, que comumente são separados por ponto e vírgula. Uma vez definido o delimitador, um arquivo em .csv será gerado.

O arquivo .CSV não traz imagens e anexos, para tal existe uma segunda opção em formato .ZIP com .CSV e arquivos (SAF).

151. Exportar Coleção em pacote 151. Exportar Coleção em pacote

3

A exportação por pacote, gera um arquivo compactado em formato .zip. São exportados para o arquivo os itens, os metadados e as taxonomias (Figura) criadas, sendo que grande parte informação exportada é colocada em arquivos .xml.

152. Arquivo exportado em pacote 152. Arquivo exportado em pacote

9.1 – Exportação diretamente da coleção

Além do menu de exportação a partir da roda dentada dentro da coleção é possível exportar os dados da coleção em CSV e RDF diretamente da coleção assim como gerar um grafo a partir desses dados como demonstram as figuras abaixo.

153. Possibilidades de exportação direto da coleção 153. Possibilidades de exportação direto da coleção

154. Visão do arquivo .RDF gerado 154. Visão do arquivo .RDF gerado

155. Exemplo de grafo gerado a partir das informações do arquivo .RDF 155. Exemplo de grafo gerado a partir das informações do arquivo .RDF


10 – Excluir Coleção/Itens

Como Chegar Aqui: Roda Dentada na coleção Deletar.

Por fim, temos o item de menu que possibilita a exclusão da coleção ou remoção de todos os itens de uma coleção, bastando clicar nessas opções para que a ação ocorra.

156. Excluir coleção. 156. Excluir coleção

1. Excluir coleção:

Exclui a coleção do usuário enviando-a para a lixeira de coleções (Coleções Mostrar coleções Lixeira), assim como os itens contidos na mesma, com o uso da lixeira é possível recuperar ou excluir definitivamente essa coleção.

2. Deletar item:

Deleta todos itens que estão armazenados na coleção, enviando-os para a lixeira da coleção.


11 – Denunciando uma Coleção

Caso uma coleção apresente um conteúdo inadequado, o usuário pode denunciá-la e informar o motivo para que, posteriormente, o administrador do repositório avalie a questão.

Para denunciar uma coleção, basta, na home da coleção clicar na roda dentada Reportar Abuso, como mostra a Figura abaixo.

107. Reportar abuso 157. Reportar abuso

Após isso, será exibido um campo para que o usuário detalhe os motivos pelos quais a coleção está sendo denunciada (Figura).

108. Descrevendo detalhes para reportar abuso 158. Descrevendo detalhes para reportar abuso


12 – Permissões

O proprietário da coleção é responsável por conceder permissões para que outros usuários colaborem no desenvolvimento da mesma, realizando operações como criar, editar e deletar entidades da coleção. Isso é feito através de um esquema de níveis de permissões de usuários no sistema.

Para acessar e definir os níveis de permissão para uma determinada coleção deve-se, dentro da coleção, clicar na roda dentada, no menu administrativo, e clicar em configuração (Figura).

159. Menu Administrativo - Permissões 159. Menu Administrativo - Permissões

Após abrir a página de configurações da coleção, deve-se clicar em configurações avançadas, no final da página. Então, será possível visualizar as permissões definidas para cada tipo de entidade que uma coleção pode ter.

No Tainacan são definidos 10 tipos de entidades, mostradas na coluna direita da figura a seguir. Com exceção de algumas entidades, pode-se definir níveis de acesso para três operações: criar, editar e deletar.

Existem quatro níveis de permissões:

- Não permitido: Nenhum usuário além do proprietário da coleção poderá realizar determinada operação. - Anônimo: Se refere a usuários que não possuem cadastro no sistema. - Membros: Somente usuários que possuem cadastro no sistema poderão realizar determinada operação. - Aprovação: A operação realizada deverá ser aprovada pelo proprietário ou por algum moderador da coleção.

160. Permissões - Escolha das permissões para ações 160. Permissões - Escolha das permissões para ações

Caso uma determinada operação necessitar de aprovação para ser efetivada, o proprietário da coleção pode definir o tipo de moderação para aprovar operações sobre uma entidade de duas maneiras:

Aprovação por moderador:

O proprietário da coleção pode escolher usuários para atuarem como moderadores de sua coleção. Os moderadores são responsáveis por rejeitar ou efetivar operações com nível de permissão de aprovação: toda vez que um usuário realiza uma operação que necessita de aprovação, essa ação irá disparar um evento que os moderadores da coleção irão visualizar em seus perfis (Figura) e então, aprovar ou rejeitar.

161. Notificação de eventos 161. Notificação de eventos

Após isso, o moderador visualiza todos os eventos não verificados que necessitam de aprovação para serem efetivados no sistema, como mostra a figura abaixo, e, após selecionar um evento específico para avaliação, o moderador confirma ou não a operação realizada pelo usuário.

162. Eventos não verificados 162. Eventos não verificados: A página de eventos exibe a relação das operações que aguardam aprovação para serem efetivadas (aba não verificados) e as operações que já foram avaliadas pelo usuário (aba verificados).

Aprovação democrática (eleição por maioria):

Esse tipo de aprovação faz com que seja aberta uma votação entre os membros por um número de dias determinado pelo proprietário da coleção.

Ou seja, caso uma determinada entidade de uma coleção tenha esse nível de permissão sobre uma determinada operação (criar, editar, deletar), a mesma só é efetivada caso uma maioria de usuários a aprove. Para votar, o usuário membro deve verificar os eventos pendentes (da mesma maneira que o moderador o faz). Ao fazer isso, o usuário irá visualizar todas operações que requerem o voto do mesmo (Figura abaixo). Caso não haja votos e expire o período de votação pré-determinado pelo proprietário da coleção, a operação é efetivada no sistema.

163. Eventos não verificados: Aprovação Democrática 163. Eventos não verificados: Aprovação Democrática

Para definir a maneira de aprovação das operações dos usuários (aprovação por moderador ou aprovação democrática) deve-se clicar na roda dentada Configuração Configurações avançadas Tipo de moderação, como mostra a Figura:

164. Tipo de moderação 164. Tipo de moderação

Como mostrado na Figura, caso seja definido aprovação democrática, pode-se definir o número de dias até que a votação dos usuários seja encerrada. No caso da aprovação por moderação, o administrador da coleção pode definir usuários para serem moderadores da coleção. Os moderadores podem contribuir com o processo de verificação dos eventos.

165. Tipo e duração da moderação 165. Tipo e duração da moderação


13 – Eventos

Como Chegar Aqui: Roda Dentada na coleção Eventos.

É um mecanismo utilizado para verificar/validar as operações realizadas por usuários em uma coleção ou no repositório. Como mostrado na seção de Permissões, o proprietário da coleção pode definir permissões específicas para a realização das operações de criar, editar e deletar. Dependendo do nível de permissão atribuído a uma determinada operação, a realização da mesma implicará no disparo de um evento a ser verificado/validado por uma instância superior na administração da coleção (usuários moderadores e administrador da coleção).

Em outras palavras, é uma espécie de avaliação das modificações realizadas pelos usuários de uma determinada coleção com o objetivo de manter somente aquilo que for relevante, conforme o desejo dos administradores da coleção.

Toda vez que uma operação com nível de permissão aprovação é realizada, um evento é disparado de forma que o usuário responsável por verificar os eventos de uma coleção poderá visualizá-los clicando sobre a roda dentada Eventos.

166. Menu - Eventos 166. Menu - Eventos

A tela exibida ao clicar sobre roda dentada Eventos será mostrada de acordo com o tipo de aprovação e o tipo de usuário (administrador, moderador, usuário comum).

A seção de Permissões apresenta dois tipos de aprovação: a aprovação por moderador (onde o moderador ou moderadores são definidos pelo usuário proprietário da coleção) e a aprovação democrática (onde qualquer usuário pode votar para validar a operação, prevalecendo o parecer com maior número de votos).

13.1 – Exibição dos eventos de uma coleção com Aprovação por moderação

Caso o usuário seja um administrador/moderador da coleção, será exibida então uma tabela dividida em duas abas: a de eventos verificados e a de eventos não verificados (Figura).

167. Menu - Verificação de Eventos 167. Menu - Verificação de Eventos

A aba de eventos não verificados exibe os eventos que o moderador/administrador da coleção deverá avaliar. Para verificar um evento específico deve-se clicar sobre ele, na coluna Descrição do Evento.

168. Verificação de Evento específico 168. Verificação de Evento específico

Para validar ou não a operação, deve-se selecionar entre Confirmado e Não confirmado e então clicar sobre o botão salvar, como mostrado na Figura a seguir. Pode-se adicionalmente incluir um comentário no campo Observação do Evento.

A aba de eventos verificados exibe um histórico dos eventos já validados pelo moderador/administrador da coleção. É possível ainda reverter o parecer do evento clicando sobre os valores mostrados na coluna Estado. Ao fazer isso, será exibida a tela de verificação de eventos, mostrada na Figura.

169. Eventos Verificados 169. Eventos Verificados

Caso o usuário seja um usuário comum, o mesmo não tem poder de verificar os eventos de uma coleção, a menos que ele seja definido pelo administrador da coleção como um moderador. Nesse caso, a maneira de visualizar os eventos a serem verificados é igual ao mostrado anteriormente para o administrador. Dessa forma, um usuário comum não pode sequer visualizar os eventos que aguardam verificação.

13.2 - Exibição dos eventos de uma coleção com Aprovação Democrática

Caso o usuário seja um administrador ou moderador da coleção, a aba de eventos não verificados apresentará na coluna Estado o número de votos favoráveis ou não a realização da operação. Caso o administrador/moderador da coleção deseje finalizar a votação, processando a contagem dos votos já obtidos, deve-se selecionar as operações que terão os votos contados na coluna Selecionar todos/desmarcar todos e então clicar sobre o botão Processar. Para selecionar todos os eventos de uma vez só basta clicar sobre Selecionar todos/desmarcar todos (Figura).

170. Eventos Não Verificados 170. Eventos Não Verificados

Caso o usuário seja um usuário comum, a aba de eventos não verificados permitirá que o mesmo apenas vote no item a ser verificado. Para isso, basta clicar sobre as figuras de polegar para cima ou polegar para baixo (Figura).

171. Votação em itens 171. Votação em itens

13.3 – Eventos Pré-Aprovados

As operações que possuírem o nível de permissão (ver seção sobre Permissões) de Membros e Anônimo já são pré-aprovadas, não necessitando da intervenção de outro usuário para validá-la. No caso de um usuário ser um moderador de uma determinada coleção, qualquer operação desse usuário na coleção em que ele é moderador são pré-aprovadas também.

13.4 – Eventos e Permissões do Repositório

Assim como o dono de uma coleção pode estabelecer permissões sobre sua coleção, o administrador do repositório também pode estabelecer um controle de acesso às coleções de seu repositório.

A diferença é que o administrador do repositório define as permissões de acesso clicando na barra superior em seu nome de usuário Configuração Permissões, onde é possível definir permissões para criação e exclusão de coleções.

Como mostrado na Figura, os níveis de permissão, nesse caso, são Membros (usuários registrados no sistema) e Aprovação (as operações passam pela avaliação do administrador).

172. Permissões para Ações 172. Permissões para Ações

173. Permissões para Eventos 173. Permissões para Eventos

A página de eventos do repositório, a ser visualizada pelo administrador, é similar à página de eventos de coleções, com a diferença que o tipo de eventos listados (assim como mostrado na Figura) se relacionam às operações de criar e deletar coleções.

14– Comentários

14.1 – Comentários no Repositório

Na raiz do repositório (Figura), deve-se clicar sobre { }.

174. Capa - Comentários no Repositório 174. Capa - Comentários no Repositório

Após isso, será exibido um campo para que o usuário escreva o comentário e então confirme a operação clicando sobre o botão Comentar.

175. Comentários 175. Comentários

14.2 – Comentários na Coleção

Na home da coleção que se deseja comentar, deve-se clicar na figura [ ] , no topo da tela, à direita.

176. Capa - Cometários na Coleção 176. Capa - Cometários na Coleção

Assim como mostrado anteriormente, será exibido um campo para que o usuário comente então confirme clicando sobre o botão Comentar.

177. Cometário na Coleção 177. Cometário na Coleção

14.3 – Comentários no Item

Após selecionar um item específico de uma coleção, no final da tela de visualização do item há um campo reservado para comentários. Basta comentar e então confirmar clicando sobre o botão Comentar.

178. Cometário em Item 178. Cometário em Item


15 – Estatísticas

15.1 – Estatísticas da Coleção

Para acessar as estatísticas da coleção deve-se clicar sobre a roda dentadaEstatísticas, como mostra a Figura abaixo.

179. Menu - Estatísticas da Coleção 179. Menu - Estatísticas da Coleção

Após isso será exibida uma página na qual o usuário poderá definir algumas restrições relacionadas ao tipo de relatório que será gerado.

180. Painel - Estatísticas 180. Painel - Estatísticas

1. Período de Tempo

No campo Período de tempo pode ser definido o intervalo de tempo sobre o qual se deseja gerar o relatório (Figura).

181. Estatísticas - Período de Tempo 181. Estatísticas - Período de Tempo

Já o campo Tipo de Relatório (Figura), o usuário define os metadados sobre os quais o relatório será gerado.

182. Estatísticas - Tipo de Relatório 182. Estatísticas - Tipo de Relatório

2. Tipos de Gráficos

Nesse campo são definidos os tipos de gráficos que serão gerados no relatório. Existem três opções (conforme mostra a Figura abaixo), a primeira opção é o gráfico de pontos, a segunda é o gráfico de barras e a terceira o gráfico de setores.

183. Estatísticas - Tipos de Gráficos 183. Estatísticas - Tipos de Gráficos

3. Tipos de Arquivos

Nesse campo são definidos os formatos de relatórios gerados. Como mostra a figura, podem ser gerados relatórios nos formatos .PDF, .CSV e .XLS.

184. Estatísticas - Tipos de Arquivos 184. Estatísticas - Tipos de Arquivos

Dessa forma ao selecionar o formato para baixar o relatório, o relatório será baixado automaticamente.

É importante notar também que enquanto o usuário define os metadados sobre os quais o relatório será gerado, é feita a exibição do gráfico na página permitindo assim a pré-visualização do relatório que será gerado, como mostra a figura a seguir.

185. Estatísticas - Pré-Visualização do Relatório 185. Estatísticas - Tipos de Arquivos